terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Métricas e Estratégias para o seu blog

Venho hoje falar sobre métricas e estratégias para se medir e promover um website. Muita gente que cria blog e participa de redes sociais tem o sonho de se tornar popular e conquistar milhões de seguidores, mas isso requer um trabalho que envolve vários aspectos.

Sabemos que tem autores de blogs que ganham muito dinheiro com os seguidores então vamos aqui a algumas dessas métricas:
- Visibilidade: são medidas que servem como base de comparação com outras mídias tradicionais
(ser visível não é ser chato e querer publicar primeiro, ser visível e aparecer mesmo diante da notícia sendo publicada em outras mídias)
- Influência: se o autor tem o efeito de propagar uma informação no meio social consequentemente ele terá uma reputação formada.
- Engajamento: quanto maior for a participação no meio social maior será o seu engajamento é importante notar que uma pessoa que escreve notícias no seu blog deve também comentar em outros blogs e responder a comentários do seu blog.
Para ficar mais claro vamos então trabalhar alguns indicadores sobre visibilidade:
  • Pageviews: é o número de vezes que uma página é exibida
  • Unique visitors: é a quantidade de pessoas que acessam uma página.
  • Posts/Threads: é a quantidade de textos ou tópicos escritos (reparem a diferença neste blog de 2008 para 2009)
  • Quantidade de grupos: Quantos fóruns, listas de discussão ou grupos falam sobre o assunto.
  • Tempo de visitação: é o tempo que o visitante passa no site reparem que alguns assuntos podem ser pesquisados numa língua e quando o visitante chega ao endereço ele é em outra língua.
  • Outras medidas requerem maior profundidade na análise: new visitors (novos visitantes), returning visitors(visitantes que retornam), traffic sources(origem do tráfego), geográfica, idioma, membros, conexões, etc...
Para que o seu blog faça esse acompanhamento é importante cadastra-lo num site que faz esse tipo de acompanhamento, neste blog utilizo o sitemeter e também o clustrmaps vejam lá no rodapé do bitbiblio que o blog já está na casa de 23.388 visitas é pouco para um blog popular (ver os top 100 no technorati), mas para o tempo e a dedicação que dou a ele acho que está de bom tamanho. Outro muito utilizado é o Google Analytics que é uma ferramenta gratuita existem outras que são pagas como o Clicktracks, Coremetrics, SiteCatalyst, Nedstat, SAS Web Analytics e o  Webtrends. É bom lembrar que algumas tecnologias como o caso do RSS fazem com que os consumidores de informação sequer visitem o site já que o conteúdo dele é recuperado remotamente em um leitor de RSS.
A este tipo de atividade em inglês chamamos de Social Media Measurement (SMM), mas não confunda com  uma outra atividade que é empregada junto com a mensuração que é a Social Media Marketing que serve para promover o site e aumentar o seu tráfego e número de visitantes.
Gostaria de compartilhar uma apresentação que fala sobre isso que é a da Martha Gabriel.
Redes Sociais: Estrategias e Mensuração, por Martha Gabriel

Nos próximos posts irei falar sobre as estratégias para tornar as mídias sociais(blogs e redes sociais) mais populares.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Redes Sociais para Amantes de Livros atualizada??

Olá estava fazendo uma pesquisa e por acaso encontrei um post sobre o assunto e resolvi me aprofundar um pouco mais sobre redes sociais para amantes de livros. Confesso que só conhecia a LibraryThing e o Skoob que possuem a interface traduzida para o português.
As Redes Sociais de livros tem como funcionalidade principal realizar a catalogação social de livros e compartilhar entre os usuários da rede e ainda fazer o empréstimo de livros entre eles e os usuários podem também determinar os favoritos a lista das redes mais importantes são:
Anobii (em espanhol)
Bukear (em espanhol)
Entrelectores (em espanhol)
Lecturalia (em espanhol)
LibraryThing (em português-br e muitos idiomas)
Librofilia (em espanhol)
Listal (em inglês)
Soopbook (em espanhol e muitos idiomas)
Bookarmy (em inglês)
Shelfari (em inglês)
BookSprouts (em inglês)
Gurulib (em inglês)
Blippr.com (em inglês)
BookJetty(em inglês)
Book Cover Archive (em inglês)
Skoob (em português)
O Livreiro (em português)
Paperback Swap (em inglês)
BookMooch (em espanhol)
Bookhuddle (em inglês)
22 Books
weRead
E você já acessou alguma delas? Qual foi a que você mais gostou?

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Museu Virtual - Por que não biblioteca virtual? Google Art Project

O Google lançou na terça dia 01/02/2011 uma nova ferramenta que promete ajudar na visitação virtual dos museus. A ferramenta em questão é o Google Art Project nele é possível ter uma visão 360 graus de todos os aposentos do museu através de recursos que utilizam a tecnologia das câmeras do Google Street View
Ao todo já são apresentados uma parte de 17 dos principais museus pela America do Norte e Europa entre eles o Van Gogh Museum em Amsterdam, o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA), o Palácio de Versailles em Paris, a Galeria Ufizi em Florença e outros espalhados em Madri, Moscou, Berlin, Washington D.C., Londres, Praga e São Petersburgo. 
A impressão é de se estar navegando entre fotos de outras aplicações como o Google Maps, mas ainda não tem a experiência sensorial que um vídeo proporciona, de qualquer forma para quem não tem condições de conhecer os lugares ainda assim é uma excelente ferramenta e a qualidade das fotos em alta definição permite aproximar os detalhes de cada uma das peças presentes na sala. Para ilustrar isso fiz uma composição de imagens de um dos quadros presentes no acervo do Palácio de Versailles o de Napoleão Bonaparte em seu cavalo branco! conforme as figuras abaixo.
A pergunta que fica aqui é por que os responsáveis pelas bibliotecas não aproveitam esta ferramenta para também fotografas as principais bibliotecas ao redor do mundo?
Napoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte - Zoom 1
Napoleão Bonaparte - Zoom 2
O Google Art Project oferece ainda com a permissão destes 17 museus uma visão de uma única obra selecionada pelo museu para ser fotografada em câmera de altíssima resolução, ou gigapixel, veja a lista das obras oferecidas com este recurso: 
Segue a lista completa das obras capturadas em ultra-alta resolução:
América do Norte
- MoMA, Museu de Arte Moderna, Nova York - "A noite estrelada" / Vincent van Gogh
- The Frick Collection, Nova York - "São Francisco no deserto" / Giovanni Bellini
- The Metropolitan Museum of Art, Nova York - "A colheita" / Pieter Bruegel, o Velho
- Freer Gallery of Art, Smithsonian, Washington DC - "A princesa da terra da porcelana" / James Whistler
Europa
- Museu Van Gogh, Amsterdã - "O quarto" / Vincent van Gogh
- Rijksmuseum, Amsterdam - "Vigília noturna" / Rembrandt
- Alte Nationalgalerie, Berlim - "No conservatório" / Edouard Manet
- Gemaldegalerie, Berlim - "Retrato do O mercador Georg Gisze" / Hans Holbein the Younger
- Galeria Uffizi, Florença - "O nascimento de Vênus" / Sandro Botticelli
- Galeria Nacional, Londres - "Os embaixadores" / Hans Holbein, o jovem
- Tate Britain, Londres - "Nenhuma mulher, nenhum grito" / Chris Ofili
- Museo Reina Sofia, Madrid - "A garrafa de anis do mono" / Juan Gris
- Museo Thyssen - Bornemisza, Madrid - "Jovem cavaleiro numa paisagem" / Vittore Capaccio
- Galeria Tretyakov, Moscou - "A Aparição de Cristo diante do Povo" / Aleksander Ivanov
- Palácio of Versailles, Paris - "Marie-Antoinette de Lorraine-Habsbourg, rainah da França e seus filhos" /
Louise Elisabeth Vigee-Lebrun
- Museu Kampa, Praga - "A Catedral" / Frantisek Kupka
- Museu Hermitage, São Petersburgo - "Retorno do filgo pródigo" / Rembrandt
Conforme notícia publicada no jornal O Globo a experiência proporcionada por esta ferramenta irá permitir que as pessoas possam primeiramente ver o local e a obra para depois se surgir uma oportunidade poder fazer uma visitação real. Alguns museus ainda são contrários a idéia de ter suas coleções fotografadas isso porque há o aspecto da segurança e também o da deterioração com utilização de flashes ao longo do tempo em que ela fica exposta para a captura.
A questão que gostaria de colocar é por que então não propor que as bibliotecas mais importantes do mundo tenham seu interior fotografado para dar a experiência visual? Acredito que o conhecimento e as informações que cada obra deste museu oferece poderá um dia ser acessada com a tecnologia da realidade aumentada.