quinta-feira, 10 de abril de 2008

Hipertexto e Aplicações de Referência

Este post é para os aficcionados por funcionalidades digitais em diversas mídias para serviços de referência e o tema abordado hoje será o Hipertexto.
A evolução da Era Informacional fez com que surgissem novas formas textuais que vêm trazendo desafios para a Leitura e a Escrita. O hipertexto, como uma dessas novas formas, possui uma característica interessante: a não-linearidade e, segundo Marcushi (2000), possui "links eletrônicos, os quais fornecem diferentes caminhos para os usuários", funcionando como uma "teia de significados", que terá como uma aplicação basal de fazer referenciação digital no hipertexto.

O Hipertexto é formado pela junção de outras linguagens chamadas de Hipermídia, como som, imagem, e escrita, que trazem uma nova forma de enunciação digital com a colaboração de várias mídias.
Tal como Possenti (2002) e Marcushi (2000), o hipertexto não é visto como um funcionamento textual exclusivo de ambientes textuais ou como novidade, pois ele esteve e está presente na escrita convencional, como as notas de rodapé presente em textos científicos e as fichas de cabeçalhos de assuntos presente nas bibliotecas, que intercruzam seus dados para uma posterior recuperação.


Maness (2007) garante que as bibliotecas se beneficiarão ao adotarem essa tecnologia, pois um serviço como a referência online permite a interação e o compartilhamento de telas e arquivos entre bibliotecários e usuários que irão pressupor a existência de coleções dispersas na Web e, conseqüentemente, essa será uma "nova forma de coleção contínua" do processo de referenciação.

Fica claro então que o Hipertexto assegura um mapeamento de associações entre textos e pode ser muito bem empregado nos serviços de referência digital e representação temática da informação de modernas bibliotecas.

Nenhum comentário: